Arapiraca

Edifício Residencial

Cliente: Idea Zarvos | Arquiteto: Triptyque
Superfície: 8000 m² | Terreno: 3500 m²
Cidade: São Paulo | País: Brasil
Anos: 2012 – 2016

O tecido urbano peculiar do bairro Vila Madalena, em São Paulo, definiu o projeto realizado pela Triptyque Architecture: um complexo residencial na Rua Arapiraca. A integração com seu ambiente, um bairro de casas antigas perto de bares e restaurantes, foi a escolha feita pela Triptyque para que o volume total da construção de 8000m2 dialogasse de maneira natural com seu relevo.

Para isso, os arquitetos decidiram dividir o edifício em oito blocos distribuídos aleatoriamente, cada um deles com um acesso independente, cuja posição garante uma vista melhor e otimiza a ventilação e a luminosidade natural. Um nono bloco aloja os elevadores, shafts e escadas, e concentra as saídas das passarelas metálicas: lugar de circulação e socialização entre os habitantes.

Como resultado, a configuração dos apartamentos oferece a mesma privacidade que a das casas independentes. Com terraços espaçosos e tetos altos, as residências variam de lofts a triplex podendo ter plantas diferentes. A área comum dos andares superiores, mais particularmente as passarelas metálicas, são banhadas pela luz do sol e arejadas pelo vento.
A memória coletiva da Vila Madalena se faz presente na escolha do revestimento, cuja predominância de concreto projetado – um material bruto, rústico, quase primitivo de cor grafite – é uma referência ao reboco bastante utilizado nos antigos edifícios do bairro.

A referência histórica se materializa na cerâmica, uma referência aos portugueses, os primeiros migrantes que ocuparam a região. Os azulejos azuis e branco são uma homenagem ao artista Athos Bulcão e estão presentes em todas as fachadas internas. Lisos e reluzentes, eles dão vida às fachadas e ao mesmo tempo iluminam a parte central do terreno. As camadas expostas dos gabiões completam o complexo e lhe dá uma aparência mais brutal.

A vegetação tem um papel fundamental neste projeto, seja nos canteiros instalados nas passarelas metálicas ou no térreo, onde a densidade verde cria um ambiente de floresta urbana sob o edifício. É como se o edifício emergisse da selva, se abrindo como uma praça na cidade.

Nas duas entradas do edifício, a grande densidade apaga a fronteira entre o terreno e a calçada, criando um desfoque entre o público e o privado e portanto revelando a generosidade do projeto como um todo.

“Nós imaginamos o edifício na Rua Arapiraca estando integrado em seu contexto, mas ao mesmo tempo com uma presença marcante e inovadora”, resumem os sócios da Triptyque Architecture.

Coordenador: Luiz Trindade | Chefs do projeto: Bianca Coelho, Beatriz Hipólito, André Mathias | Créditos: Ricardo Bassetti

Hide picture